..




CLIMA TEMPO PARA PICUÍ


Tempo para os cinco dias

.

4 de jul de 2015

Bonita e Perigosa: falsa médica veterinária é presa em flagrante

Radio Cenecista Picui PB     sábado, julho 04, 2015    
Bonita e Perigosa: falsa médica veterinária é presa em flagrante
Agentes da Delegacia de defraudações prenderam na tarde desta sexta-feira (3), em flagrante, Mayra Margo de Noura por falsidade ideológica. Ela usava indevidamente uma carteira do Conselho de Medicina Veterinária e atendia clientela a domicílio. De acordo com o delegado Lucas Sá, Mayra se utilizava das redes sociais para divulgar seu trabalho.
Ainda de acordo com o delegado de Defraudações, Mayra Margot também era engajada em serviços voluntários e usava os animais adotados como cobaia em procedimentos veterinários.
A falsa médica foi descoberta pelos clientes que desconfiaram da sua falta de técnica e habilidade e a denunciaram. A partir das denúncias, a polícia começou a monitorar Mayra e a prenderam quando fazia uma visita no bairro de Tambauzinho, em João Pessoa. O marido de Mayra, cujo nome não foi revelado, também foi preso, depois de tentar fugir.
Segundo a polícia, Mayra Margot foi flagrada portando carteira do CRMV de uma paraibana e talonários de receituários.
Os dois - marido e mulher -, foram autuados em flagrante pelos crimes de estelionato e falsa identidade.  Ele será conduzido ao Presídio do Róger onde ficará a disposição da Justiça. Margot será encaminhada para o presídio femino, onde também permanecerá à disposição da justiça. Além dos crimes de estelionato e falsa identidade, os suspeitos responderão a outro inquérito policial instaurado pela Delegacia de Defraudações, que se aprofundará nas investigações.

Caern divulga funcionamento de rodízio de água em 20 cidades do RN

Radio Cenecista Picui PB     sábado, julho 04, 2015    
A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte divulgou o funcionamento do rodízio de abastecimento em 20 cidades do estado. O fornecimento de água  em dias alternados tem o objetivo principal de economizar e prolongar por mais tempo a disponibilidade da água nos mananciais.
No Alto Oeste do Estado, as cidades de Coronel João Pessoa, Frutuoso Gomes, Lucrécia, Marcelino Vieira, Martins, Pau dos Ferros, Portalegre, Riacho da Cruz, São Francisco do Oeste, Venha Ver Viçosa e comunidades, estão com o abastecimento funcionando de maneira alternativa. Na região seridoense, também as cidades de Acari, Bodó, Caicó, Cerro Corá, Currais Novos, Equador, Florânia, Lagoa Nova e São Vicente também fazem parte da lista de rodízio.

Confira nova tabela de pagamento do PIS/Pasep

Radio Cenecista Picui PB     sábado, julho 04, 2015    
O calendário de pagamento do Abono Salarial para o exercício 2015/16 inicia dia 22 desse mês de julho e segue até março do próximo ano após mudança anunciada pelo Governo Federal. Pela nova tabela aprovada, os nascidos no segundo semestre (julho a dezembro) recebem ainda nesse ano, já os nascidos no primeiro semestre (janeiro a junho) recebem no primeiro trimestre do próximo ano.
Tem direito ao benefício que recebeu em média até dois salários mínimos mensais no ano anterior com carteira assinada.  O trabalhador deve estar cadastrado no Programa de Integração Social PIS ou Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep).
Quem tem direito ao abono?
Trabalhadores que estão inscritos no PIS ou Pasep há mais de cinco anos e trabalharam pelo menos 30 dias do ano anterior com registro em carteira, que tenham recebido, em média, até dois salários mínimos mensais e que tenha tido seus dados informados corretamente por sua empresa na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) têm direito a sacar o abono correspondente a um salário mínimo.
CRONOGRAMA DE PAGAMENTO DO ABONO SALARIAL – 2015/2016
PIS – Pago pelas agências da Caixa Econômica Federal 
NASCIDOS EM         
RECEBEM A PARTIR DE          
RECEBEM ATÉ
JULHO
22 / 07 / 2015
30 / 06 / 2016
AGOSTO
20 / 08 / 2015
30 / 06 / 2016
SETEMBRO
17 / 09 / 2015
30 / 06 / 2016
OUTUBRO
15 / 10 / 2015
30 / 06 / 2016
NOVEMBRO
19 / 11 / 2015
30 / 06 / 2016
DEZEMBRO
17 / 12 / 2015
30 / 06 / 2016
JANEIRO
14 / 01 / 2016
30 / 06 / 2016
FEVEREIRO
MARÇO
16 / 02 / 2016
30 / 06 / 2016
ABRIL
MAIO
17 / 03 / 2016
30 / 06 / 2016
JUNHO
PASEP – Pago pelas agências Banco do Brasil
FINAL DA INSCRIÇÃO    
RECEBEM A PARTIR DE
    RECEBEM ATÉ
0
22 / 07 / 2015
30 / 06 / 2016
 1
20 / 08 / 2015
30 / 06 / 2016
2
17 / 09 / 2015
30 / 06 / 2016
3
15 / 10 / 2015
30 / 06 / 2016
4
19 / 11 / 2015
30 / 06 / 2016
5
14 / 01 / 2016
30 / 06 / 2016
6 e 7
16 / 02 / 2016
30 / 06 / 2016
8 e 9
17 / 03 / 2016
30 / 06 / 201

Governo Federal libera recursos para abastecimento de água na Paraíba

Radio Cenecista Picui PB     sábado, julho 04, 2015    
O governo federal autorizou o empenho e transferência de recursos para ações de Defesa Civil ao estado da Paraíba no valor de R$ 7,3 milhões. O valor representa 13,9% dos R$ 53,7 milhões prometidos pelo Ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi. A autorização foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) da quarta-feira (1º), duas semanas após o ministro assinar um termo de compromisso com o governador Ricardo Coutinho (PSB) para obras emergenciais no Estado com o objetivo de garantir o abastecimento de água.

Os recursos são destinados à execução de ações de resposta à estiagem, com o fornecimento provisório de água potável por meio de caminhão-pipa, em 130 municípios do Semiárido paraibano. Considerando a natureza e o volume de ações a serem implementadas, o prazo de execução das obras e serviços é de 180 dias a partir da publicação da portaria. “O proponente deverá apresentar prestação de contas final no prazo de 30 dias a partir do término da vigência”, estabelece a portaria.

Além da Paraíba, o governo federal autorizou transferência de recursos para o Ceará, que deve receber R$ 20,9 milhões, e para o Piauí, que vai receber R$ 6,49 milhões.

Atualmente, a Paraíba tem 25 cidades em situação de colapso de abastecimento e outras 55 com racionamento d’água. Entre as ações previstas estão o uso de carros-pipa. No dia 18 de junho, o governo da Paraíba anunciou investimentos de mais de R$ 133 milhões para execução de ações integrantes do Plano Emergencial de Enfrentamento à Estiagem. No montante de recursos, estão os R$ 53 milhões, prometidos pelo Ministério da Integração.

G1 PB

Preço dos imóveis tem queda real no primeiro semestre do ano

Radio Cenecista Picui PB     sábado, julho 04, 2015    
São Paulo - O preço médio do metro quadrado dos imóveis no país registrou queda real de 4,45% nos seis primeiros meses do ano, segundo o Índice FipeZap.
A queda real acontece quando a alta no preço médio de um determinado bem é inferior à alta generalizada de preços, medida por índices inflacionários, como o IPCA.
De janeiro a junho, os preços tiveram alta de 1,38%, variação inferior à inflação estimada pelo IBGE para o período, de 6,10%.
O índice mostra também que nos últimos 12 meses encerrados em junho os preços subiram 4,52%, abaixo do IPCA esperado para o período, de 8,82%. É o sexto mês consecutivo no qual há queda real de preços em 12 meses.
Pela oitava vez seguida, o índice também apresenta queda real na variação de preços mensal. Enquanto o metro quadrado subiu 0,13% em junho, a expectativa é de alta de 0,72% do IPCA para o mês.
No acumulado de 2015, 19 cidades do índice registraram variações menores do que a inflação, com exceção de Florianópolis, onde os preços subiram 6,66%. Niterói, Brasília e Curitiba tiveram queda nos preços nos primeiros seis meses do ano.
O Rio de Janeiro continua registrando o metro quadrado mais caro entre as 20 cidades pesquisadas pelo FipeZap, de 10.643 reais, seguida por São Paulo, onde o metro quadrado custa, em média, 8.593 reais. Já o preço médio do metro quadrado mais barato é registrado em Contagem (3.550 reais) e Goiânia (4.162 reais).
Veja, na tabela a seguir, a variação dos preços dos imóveis à venda nas 20 cidades acompanhadas pelo FipeZap. A lista foi ordenada de acordo com a variação em junho. 
O Índice FipeZap tem dados disponíveis sobre São Paulo e Rio de Janeiro desde janeiro de 2008. ParaBelo Horizonte, a série histórica começa em maio de 2009. Para Fortaleza, em abril de 2010; para Recife em julho de 2010; e para o Distrito Federal e Salvador, em setembro de 2010.
Os municípios do ABC Paulista e Niterói têm dados disponíveis desde janeiro de 2012. Vitória, Vila Velha, Florianópolis, Porto Alegre e Curitiba têm séries históricas iniciadas em julho de 2012.
O indicador elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o sitede classificados Zap Imóveis, acompanha os preços do metro quadrado dos imóveis usados anunciados na internet, que totalizam mais de 290 mil unidades por mês.
Além disso, são buscados também dados em outras fontes de anúncios online. A Fipe faz a ponderação dos dados utilizando a renda dos domicílios, de acordo com levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Portal Exame

Fies tem novas regras oficializadas pelo MEC no Diário Oficial da União

Radio Cenecista Picui PB     sábado, julho 04, 2015    
O Ministério da Educação (MEC) publicou na edição desta sexta-feira (3) do "Diário Oficial da União" uma portaria que oficializa as novas regras para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) no segundo semestre de 2015 anunciadas pelo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro.
De acordo com a publicação, os cursos com notas 5 e 4 terão mais vagas ofertadas. A portaria indica também que haverá prioridade para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste (excluindo Distrito Federal) e em carreiras como engenharia, áreas da saúde e formação de professores.
A segunda edição do programa já havia sido anunciada em 8 de junho pelo ministro. Agora, o programa de financiamento terá juros de 6,5% e novo teto de renda familar para participar do programa.
Veja abaixo as principais mudanças no Fies:
TAXA DE JUROS
COMO SERÁ: 6,5% ao ano
ANTERIOR: Antes, até outubro de 2006, eram de 9%. Depois, até agosto de 2009, passou a ficar entre 3,5% e 6,5%. Desde março de 2010 os juros são de 3,4% ano ano.
JUSTIFICATIVA: Ministérios dizem que buscam "fortalecer a sustentabilidade do programa, para que, no médio prazo, novos alunos sejam financiados pelos formados". Outra razão é corrigir distorção com o mercado de crédito.
TETO DA RENDA FAMILIAR
COMO SERÁ: Limite é a renda per capita de 2,5 salários mínimos.
ANTERIOR: Renda familiar bruta de 20 salários mínimos.
JUSTIFICATIVA: "O Fies é para os estudantes que são mais pobres e precisam de financiamento. Não é mais (a família com renda de) até R$ 15 mil que tem direito ao Fies, são valores mais baixos, mas que ainda atingem muitas pessoas", afirmou o ministro da Educação. O governo diz que 90% das famílias brasileiras estão no novo limite de renda.
PRIORIDADES PARA CURSOS DE TRÊS ÁREAS
COMO SERÁ: As áreas de engenharias, formação de professores (licenciaturas, pedagogia ou normal superior) e saúde serão prioritárias.
ANTERIOR: Não havia definição de critério.
JUSTIFICATIVA: Cursos são considerados estratégicos para o desenvolvimento do país ou para atendimento de demandas sociais. Alunos de outros cursos continuarão a ser atendidos.
CURSOS COM NOTAS ALTAS TERÃO PRIORIDADE
COMO SERÁ: Foco serão os cursos com notas 5 e 4 no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES).
ANTERIOR: MEC exigia avaliação positiva no Sinaes. No primeiro semestre, passou a adotar o critério e cursos com nota 4 ou 5 somaram 52% dos financiamentos.
JUSTIFICATIVA: Ministério diz que cursos com nota três no Sinaes ainda serão financiados, mas em patamares menores do que os das áreas consideradas prioritárias.
PRIORIDADE PARA TRÊS REGIÕES DO BRASIL 
COMO SERÁ: Será priorizado o atendimento de alunos matriculados em cursos nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste (excluindo Distrito Federal).
ANTERIOR: Não havia recorte de prioridade para regiões ou estados. E 60% dos contratos eram com estudantes de estados do Sul, do Sudeste ou Distrito Federal.
JUSTIFICATIVA: Ministério diz que decisão se soma a "outras várias políticas sociais federais que buscam corrigir as desigualdades regionais". Alunos de outros estados continuarão a ser atendidos, mas em patamares menores do que os das áreas consideradas prioritárias.
VALIDADADE DAS MUDANÇAS
COMO SERÁ: Mudanças só valerão para os próximos contratos.
JUSTIFICATIVA: "Você não pode mudar um contrato por vontade unilateral. O governo firmou um contrato com milhões de estudantes com determinadas regras e essas regras serão mantidas e respeitadas", disse o ministro Renato Janine Ribeiro.
NOTAS MÍNIMAS NO ENEM
COMO SERÁ: Alunos precisam de 450 pontos na média do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) e nota diferente de zero na redação.
ANTERIOR: A mudança passou a valer para contratos firmados neste ano. Antes, só era preciso ter prestado o exame.
JUSTIFICATIVA: A iniciativa busca aumentar o nível dos profissionais formados com apoio do financiamento público, de acordo com o governo.
UNIVERSIDADES DARÃO DESCONTO EM MENSALIDADES
COMO SERÁ: Instituições participantes vão oferecer um desconto de 5% sobre a mensalidade para os estudantes com contrato do Fies.
ANTERIOR: Estudante pagava a mensalidade mais barata cobrada na instituição pelo curso.
JUSTIFICATIVA: "O governo é um grande comprador de cursos pelo Fies. Ao ser um grande comprador ele deve se beneficiar de descontos que são dados de modo geral quando você compra em grandes quantidades. Calculando 5%, quer dizer que três mil vagas das 61,5 mil são geradas por essa nova economia", afirmou o ministro.
PRAZO PARA PAGAMENTO
COMO SERÁ: Três vezes a duração do curso
ANTERIOR: Até 2010, era de duas vezes a duração.
Crescimento do Fies
A reformulação do Fies em 2015 ocorreu depois de o programa crescer de forma exponencial nos últimos anos. Ao mesmo tempo, o MEC precisou fazer ajustes no orçamento diante de cortes do ajuste fiscal.
Segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o Fies gastou R$ 13,7 bilhões em 2014.
Entre fevereiro e agosto do ano passado, o governo federal publicou três medidas provisórias para abrir crédito extraordinário para o Fies, que passou a atender também a alunos de mestrado, doutorado e cursos técnicos.
Para conter gastos, o MEC decidiu limitar o prazo para pedido de novos contratos (antes, era possível entrar com a solicitação em qualquer momento do semestre letivo), vincular a aceitação do pedido de financiamento a cursos com notas mais altas nos indicadores de qualidade, privilegiar instituições de ensino fora dos grandes centros e exigir que os estudantes interessados em contratos de financiamento do governo tivessem média de pelo menos 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
As novas restrições no programa, porém, se depararam com a crescente demanda dos estudantes e o resultado foi um período de instabilidade nos sistema, devido à grande procura por novos contratos, e o esgotamento da verba do Fies de todo o ano de 2015 para novos contratos.
O orçamento do Fies para novos contratos durante todo o ano de 2015 era de R$ 2,5 bilhões e, segundo o ministro, essa verba foi gasta inteiramente para atender aos 252.442 novos contratos fechados no prazo do primeiro semestre. Segundo o MEC, 178 mil pessoas tentaram celebrar novos contratos e não conseguiram.
Por isso, a segunda edição do programa para novos contratos ficou indefinida até que o governo federal finalizasse o reajuste orçamentário.

G1